segunda-feira, maio 12, 2014

Soldados da Paz com Sede em Peniche Parte XII (Década de 2000-2009)

Texto:Fernando Engenheiro

ANO 2004
Mais um ano que se aproximava e logo nos primeiros dias de Junho começaram os preparativos para o 75° aniversario dos Bombeiros Voluntários de Peniche (BVP), que se celebrou no dia 20 com a presença do ministro da Administração interna, presidente do Serviço Nacional de Bombeiros, Protecção Civil, governador civil do distrito de Leiria, presidente da Câmara Municipal de Peniche, coordenador distrital de Operações de Socorro, para além de outras individualidades convidadas, que quiseram honrar a colectividade com as suas presenças.
Para festejarem as bodas de diamante dos BVP, realizou-se a 12 de Junho nesta cidade um desfile de fanfarras com inicio as 15h00 no largo junto ao tribunal e a terminar em frente do quartel, onde se encontravam responsáveis pela direcção da associação e comando do corpo de bombeiros, para além de um considerável número de espectadores que apreciaram e aplaudiram a actuação dos respectivos intervenientes. A população ao longo do percurso deu o seu apoio e manifestou-se satisfeito com a realização deste evento. Desfilaram pela seguinte ordem as fanfarras das associações Cadaval, Caneças, Ourém, Seixal, Nazaré, Benedita, Vila Franca de Xira, Alcanena, Torres Novas, Bombarral, Marinha Grande, Rio Maior, Carcavelos/São Domingos de Rana, Leiria e Caldas da Rainha. A encerrar a efeméride desfilou a Fanfarra dos Bombeiros Voluntários de Peniche que fechou com chave de ouro este feliz acontecimento.
No próprio dia festivo (20 de Junho) a corporação celebrou a efeméride com um conjunto de actividades, entre elas a inauguração de uma nova Sala de Planeamento e Operações, uma helipista, bem como ocorreu o baptismo de uma nova ambulância. O ponto alto das celebrações foi a sessão solene evocativa do aniversario, cerimonia que foi presidida pelo ministro da Administração Interna, Figueiredo Lopes. Por último, refira-se que nesta sessão solene, o comando procedeu a condecoração de alguns bombeiros com medalhas de ouro e prata, para além de promover diversos soldados da paz de aspirantes a bombeiros.
No mesmo ano, a partir de Outubro, os BVP passaram a ser dotados de um novo grupo energético e respectivas ferramentas para 0 seu veiculo de salvamento e assistência técnica. O equipamento, no Protecção Civil, constituindo uma mais-valia para o socorro as populações, vindo assim suprir uma lacuna que se verificava há já alguns meses, desde a avaria, sem reparação possível, do anterior equipamento, já na época com duas décadas de uso.

Ano 2005
Mais uma sumptuosa festa decorreu no dia 16 de Junho, data em que se comemorou o 76° aniversário da fundação dos BVP com pompa e circunstância. Dias depois, a população de Peniche e concelho teve conhecimento da inauguração, nas instalações do quartel, de um consultório médico na área da medicina geral administrada pelo médico José Correia Botelho de Sousa, beneficiando os sócios dos BVP numa redução de 10% sobre as consultas realizadas. Também no mesmo espaço passou a funcionar uma clínica de medicina dentaria, ortodentia (correcção de dentes) e implantes dentários, beneficiando também os sócios da instituição, tendo 21 disposição um rastreio gratuito assim como de uma redução de 10 % sobre os tratamentos a realizar.
Muito perto do fim deste ano comemorou-se o 10° aniversário da secção destacada dos BVP em Serra D’El-Rei. Para assinalar o acto que teve lugar na sede da secção destacada naquela vila no dia 18 de Dezembro, foi organizado um programa festivo que incluiu o toque da sirene, seguindo-se a formatura geral com toda a corporação dos BVP, incluindo a fanfarra com 0 seu traje de gala. Seguiu-se uma sessão solene onde estiveram presentes o vice-presidente da Câmara Municipal de Peniche, Delfim Campos, presidente da Junta de Freguesia de Serra D’El-Rei, Jorge Amador, e outras entidades civis.
Ainda durante esta sessão solene foi anunciada a entrega de uma viatura, marca ‘Unimog' para combate aos fogos, por Mário Monserrate, vice-presidente da direcção dos BVP.

ANO 2006
Logo nos primeiros dias do mês de Janeiro de 2006, o governador civil de Leiria distribuiu equipamentos de protecção individual a todas as associações humanitárias de bombeiros voluntários do distrito, numa cerimonia que se realizou no salão nobre do Governo Civil e que contou com a presença do governador José Miguel Medeiros, do comandante operacional distrital José Manuel Moura e comandantes das associações de bombeiros voluntários de todo o distrito. Estes equipamentos oferecidos pelo Governo eram necessários ao combate de incêndios e a outras situações de emergência, englobaram casacos, calças, capacetes, máscaras para aparelho respiratório e aparelhos respiratório-carbono e representaram um apoio global no valor de 65.628 euros. À Associação dos Bombeiros Voluntários de Peniche, foram oferecidos oito casacos de protecção individual - tipo ‘nomexf'. A distribuição dos equipamentos foi definida tendo em consideração as necessidades especificas de cada corporação, após um levantamento realizado pelo Centro Distrital de Operações de Socorro.

Pouco mais há a destacar durante este ano que mereça maior apreço, a não ser o costumado aniversario, o 77°, realizado na data própria, tendo sido recordados todos aqueles que trabalharam em prol do bem a favor daquela instituição humanitária.

ANO 2007
Durante este ano realizou-se a nova campanha de angariação de sócios com o objectivo de atingir os 10 mil associados, pois a instituição contava até final do ano anterior com o apoio de sensivelmente 6.000 sócios, dos quais 4.000 mantinham as quotas regularizadas. A instituição sempre contou com o apoio e sensibilidade em especial da nossa população de Peniche e seu concelho para uma causa que é de todos e para todos.
Honrando a memoria do chefe-equiparado Pedro Manuel da Trindade Pinto Gomes, falecido a 29 de Maio de 2007, foi aprovado por unanimidade, neste ano em curso, não se realizarem as festividades do 78° aniversario na data própria, 16 de Junho, tendo em consideração o espaço curto do falecimento daquele membro, lutador permanente para 0 engrandecimento da instituição humanitária, pois nesta data encontravam—se de luto todos os membros que constituíam aquele órgão de paz e amor pelo próximo.

AN0 2008
Os estatutos da ABVP, aprovados na assembleia geral realizada no dia 14 de Dezembro de 2002, pese embora estarem em vigor de então para ca até a presente data, não foram elaborados segundo as normas legais então vigentes, ou seja, os estatutos redigidos para substituir os iniciais, datados de 8 de Setembro de 1932 e aprovados pelo Governo Civil de Leiria, em 23 do mesmo mês, não foram objecto de escritura publica, e por esse facto, não foi nem é possível obter a legalização dos mesmos através da Conservatória do Registo Comercial e Predial de Peniche. Entretanto, têm servido de norma para todos os actos de administração, fiscalização e supervisão dos órgãos sociais. Detectada a anomalia, havia agora que regular estes estatutos por não terem sido objecto de escritura pública e consequentemente registados na competente Conservatória do Registo Comercial.
A mesa da assembleia geral, a direcção e o conselho fiscal da AHBVP tornaram público que todos os associados pediam, requerendo a partir da publicação do aviso datado de 19 de Maio de 2008, consultar o projecto dos novos estatutos, elaborados de harmonia com as disposições contidas no Decreto Lei n°. 32/2007, de 13 de Agosto, cujos exemplares se encontravam patentes na secretaria-geral e nos locais onde habitualmente são afixadas as notas informativas. Assim, em assembleia geral extraordinária realizada no dia 13 de Agosto de 2008, no seguimento das decisões tomadas numa outra assembleia geral ordinária, realizada no dia 28 de Março de 2008, no que respeita a alteração dos estatutos daquela associação, em conformidade com as normas contidas na lei acima citada e porque se encontra elaborado o competente projecto, cujo contendo esteve exposto nos locais próprios, para exame de todos os associados e obtenção de eventuais reparos ou sugestões, reuniu com a seguinte ordem de trabalhos ponto 1 - Apreciação, discussão e votação do projecto de estatutos, contendo a reforma das normas estatuárias, de harmonia com o mencionado decreto; ponto 2 - Votação da ‘delegação de poderes e conferir a representantes dos actuais órgãos sociais, para intervir na necessária escritura pública e em todos os actos anteriores, para a completa regularização dos novos estatutos. Finalmente, na assembleia geral extraordinária realizada no dia 6 de Setembro foram aprovados os estatutos a que aquela associação humanitária se passou a reger.
As cerimónias do aniversario desta instituição humanitária não foram esquecidas nestes meus apontamentos, agora a comemorar os 79 anos de existência ao serviço do bem comum, cuja efeméride teve lugar na data própria de 16 de Junho e outros dias próximos ao fim-de-semana que se seguiu.

ANO 2009
Decorria o mês de Janeiro daquele ano em que se realizaram as eleições para os órgãos sociais da Federação dos Bombeiros do Distrito de Leiria para o triénio de 2009/ 2011. Foram eleitos para presidente da mesa da assembleia geral, José Maria Oliveira Ferreira (Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Porto de Mos); para presidente da direcção, Nélio José Gomes (Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Pataias) e para presidente do conselho fiscal, José Jorge da Franca (Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários do Bombarral). Para vice-presidente da direcção foi eleito Reinaldo Alberto Ramos Gomes (Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Peniche). Assim, depois da saída do comandante Jacinto Pedrosa, esta instituição voltou a ter assento nos órgãos da Federação dos Bombeiros do Distrito de Leiria.

Obedecendo ao cumprimento estipulado ainda nos primeiros estatutos, tiveram lugar no dia 16 de Junho de 2009, as comemorações dos 80 anos ao serviço da comunidade dos soldados da paz. A efeméride foi assinalada com um conjunto de iniciativas, no domingo, dia 21 de Junho, dia em que os bombeiros saíram a rua em ambiente de festa. O programa de comemorações iniciou-se no dia 20 de Junho, sábado, com a exposição de viaturas antigas da corporação, em pleno centro da cidade, na Praga Jacob Rodrigues Pereira, num convite a população para conhecerem de perto o espólio do núcleo museológico da associação, e que pode ser visitado nas instalações da nova unidade. No domingo, dia 21, decorreram as celebrações oficiais, com a celebração de uma missa em homenagem a todos os bombeiros, seguindo-se uma romagem ao Cemitério Municipal de Santana, onde foi prestada homenagem póstuma a todos os soldados da paz já falecidos. Seguiu-se outro dos momentos altos das comemorações, com o desfile pelas principais ruas da cidade, com a fanfarra da associação, bombeiros e frota da corporação, com especial destaque para algumas viaturas antigas, carros que, de acordo com o presidente José Augusto Silva Rosa, foram recuperados pela instituição, veículos que vieram assim enriquecer o património desta instituição humanitária.
As comemorações incluíram ainda uma sessão solene nas instalações do quartel, em que se realizaram os tradicionais discursos alusivos a efeméride e se procedeu a entrega de medalhas de assiduidade aos soldados da paz de Peniche.
Presentes nesta cerimonia, para além dos bombeiros, familiares e amigos, estiveram ainda representantes das diversas entidades oficiais, desde o Governo Civil de Leiria, Liga Portuguesa de Bombeiros, Autoridade Nacional de Protecção Civil e Município de Peniche, entre outras entidades. Neste dia de festa, os responsáveis pela Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Peniche aproveitaram a ocasião para, publicamente, fazerem um agradecimento, a todas as pessoas, instituições, empresas e cidadãos em geral, que "têm contribuído, ao longo dos anos, para o crescimento desta importante instituição do concelho de Peniche”.


Soldados da Paz com Sede em Peniche Parte XI (Década de 2000-2009)

Texto:Fernando Engenheiro 
ANO DE 2000
Decorriam os primeiros meses do ano 2000, a Associação dos Bombeiros Voluntários de Peniche pretendia agora alterar os seus estatutos atendendo aos obstáculos que depararam em determinados assuntos a resolver, por não estarem adequados aos tempos presentes para aquela época. Foi elaborado pelos órgãos sociais da ABVP, um projecto de alteração dos estatutos, cuja apreciação e votação ocorreu em assembleia geral extraordinária que se realizou em 12 de Maio daquele ano, já com as informações que se encontravam a disposição dos associados na secretaria da colectividade, nos exemplares do referido projecto de alterações e dos estatutos vigentes.
No mesmo ano realizaram-se, na altura própria, a 16 de Junho, as costumadas comemorações, agora os 71 anos de existência da associação. A tradição manteve-se com a alvorada, com os três toques que soaram da sirene, a romagem ao cemitério, a missa na Igreja Paroquial de São Pedro e a sessão solene no quartel da corporação, onde se destacou a entrega de medalhas de cobre, prata e ouro aos diversos elementos, por antiguidade que constituem aquela corporação.

ANO DE 2001 .
Em 2001, estava bem patente em todos os membros daquela instituição humanitária a ultima assembleia geral, considerada uma das mais participadas de sempre. A reunião então marcada ao abrigo dos estatutos realizou-se em Março, tendo por objectivo aprovar as contas do ano anterior da associação e eleger os novos corpos sociais, mas veio a ficar marcada pela discussão acesa sobre a forma como a direcção cessante geriu a associação. Com uma movimentação financeira que ultrapassava os 117 mil contos/ano, a ABVP tinha naquele momento cerca de 6 mil sócios, numero que demonstrava bem a grandeza da organização fundada há 72 anos.
Reunidos em plenário, os sócios presentes, entre sócios contribuintes e sócios/bombeiros e por isso membros da corporação, aprovaram por larga maioria (com oito obtenções) as contas de gerência da associação. Durante a reunião, os cerca de 60 associados que compareceram nesta assembleia aprovaram ainda a actualização do sistema de quotas, a aplicar a partir de 2002, através da fixação da quota mínima de um euro/mês, a contar a partir de 1 de Janeiro do ano seguinte.

Ainda no seguimento da ordem de trabalhos, o plenário elegeu os novos corpos sociais para o mandato (direcção, conselho fiscal e mesa da assembleia) tendo apenas sido apresentada uma única lista ao sufrágio. Assim, a maioria expressa da assembleia sufragou a única lista candidata, elegendo para presidente da direcção Evaristo da Silva Cavalheiro (secretário da antiga direcção), António José Leitão para presidente da mesa da assembleia geral e Armando Faria para presidente do conselho fiscal. Foi proposta 21 mesa a votação de um voto de confiança a direcção recém eleita, votação que foi esmagadora, com 48 votos a favor e apenas um voto contra.
Nesta assembleia foi ainda aprovado, por unanimidade, um voto de louvor ao anterior presidente da direcção, Júlio Alberto São Bento Correia, que pretendeu distinguir todo o trabalho desenvolvido por este dirigente a frente dos destinos da ABVP. De salientar ainda que desta assembleia geral saiu uma recomendação para a nova direcção e que apontava para a necessidade de alterar os estatutos vigentes, regras que datavam de 1932 e por isso careciam de actualização.
Aproximou-se o dia 16 de Junho, dia de festa para os soldados da paz de Peniche e o mundo que os rodeiam. A AHBVP comemorou nesse dia o seu 72° aniversario ao serviço da comunidade. Ao longo do dia, bombeiros, familiares, amigos e dirigentes da associação, entre muitos outros convidados, juntaram-se para assinalar mais um aniversario desta associação do concelho, com mais de seis mil sócios. Para além das cerimónias habituais, durante todo o dia, destaco uma sessão solene onde se aproveitou a efeméride para atribuir diversas medalhas de bronze, prata e ouro a bombeiros e dirigentes que se destacaram ao longo dos últimos anos na vida da corporação, para além de se proceder a cerimonia de recrutamento de novos cadetes a jovens bombeiros ao serviço da associação. Destaco também nesta sessão o reconhecimento público a ajuda do Município a esta associação, citando como exemplo, a oferta de uma nova ambulância, ao serviço da corporação e que simboliza um “grato presente" em dia de aniversario.
Como já vinha sendo costume decorreu a 18 de Agosto, num restaurante da nossa cidade, um jantar/ convívio em que participaram cerca de 70 pessoas, entre bombeiros, empregados e membros dos órgãos sociais da AHBVP. A iniciativa deste evento coube a comissão organizadora do encontro anual de confraternização dos BVP e órgãos sociais da associação, constituída por onze elementos do corpo de bombeiros dos quadros activos e de honra, que têm estatutos próprios, criada com o objectivo de confraternizar e homenagear um colega. Lembramos aqui que em 1999 foi homenageado o ajudante de comando Elísio Carriço. Neste convívio foram homenageados dois elementos que muito deram a esta associação pelo seu valioso trabalho e dedicação ao longo de vários anos, motivos destacados pelo comandante da corporação.
Tratou-se do ex-presidente da direcção, Júlio Alberto São Bento Correia e António Antunes dos Santos, este conhecido pelo ‘Toni'. A testemunhar a eleição de homenagem foi destinada, a cada um dos homenageados, uma salva de prata emoldurada, com inscrições pessoais de felicitações alusivas aos respectivos titulares. Não foi possível a presença de Júlio Alberto por já se encontrar em precário estado de saúde; sabemos que pouco tempo depois a vida o ceifou para sempre no nosso meio.

AN0 DE 2002
Com vista A criação do Núcleo de Mergulho do nosso distrito; para formar bombeiros mergulhadores com o objectivo de socorrer náufragos quando ocorrem acidentes ao longo da nossa costa, por indicação do Serviço Nacional de Bombeiros, através da Inspecção do Distrito de Leiria, realizou-se no dia 17 de Fevereiro o primeiro exercício do Plano de Operações de Mergulho.
Participaram neste exercício 21 bombeiros e três acompanhantes, também bombeiros, que navegaram até à ilha da Berlenga em sete botes, onde se exercitaram em algumas operações de mergulho, em representação das seguintes corporações de bombeiros do distrito: Peniche, Óbidos, Caldas da Rainha, São Martinho do Porto, Nazaré, Marinha Grande e Pombal. Após este acto de formação no mar e depois do regresso a terra, os bombeiros mergulhadores participaram também numa missão organizada com o fim de se fazer uma análise 51 forma como decorreu esta preparação, onde cada um teceu os comentários que lhes pareceu mais convenientes de modo a serem eliminadas lacunas no futuro em outros exercícios de mergulho. Predispuseram-se assim os nossos bombeiros a receber formação adequada de modo a poderem salvar vidas também no mar.
Aproximou-se o grande dia festivo daquela colectividade, dia 16 de Junho, data em que foi comemorado o 73° aniversario. A efeméride foi assinalada em ambiente de festa, com pompa e circunstancia, com as cerimónias habituais, onde incluiu a sessão solene no quartel da associação. A presidir a sessão estiveram o governador civil José Leitão, nosso conterrâneo, para além do presidente da Câmara Municipal de Peniche, Jorge Gonçalves, presidente do Conselho Executivo da Liga dos Bombeiros, Duarte Caldeira, inspector e comandante distrital, entre muitos outros convidados. Nesta cerimónia simbólica de aniversário, o comando da corporação procedeu à entrega de varias medalhas a bombeiros distinguidos, bem como a diversas promoções de alguns soldados da paz que integraram a corporação, em que destaco os bombeiros agraciados com a medalha de ouro: Paulo, Nuno e Virgolino. Ficou marcado este aniversario com a prenda de uma viatura auto-escada oferecida pelo então emigrante em Franca, natural de Peniche, Mário Monserrate, perfeitamente operacional, viatura que foi transportada a partir de Franca, próximo de Paris, com a colaboração de uma corporação de bombeiros franceses.
Fez a entrega no decorrer da sessão o benfeitor Mário Monserrate acompanhado de sua família, a quem todas as entidades presentes agradeceram este gesto exemplar de servir o próximo.
Também meses depois, a direcção dos Bombeiros Voluntários de Peniche foi surpreendida com a oferta de uma ambulância a entregar oportunamente pela Caixa de Crédito Agrícola de Caldas da Rainha, Óbidos e Peniche que veio reforçar o parque de viaturas do serviço de saúde da instituição humanitária, que lutava com bastantes dificuldades para obter uma nova unidade. Tratou-se de uma ambulância ‘Mercedes; modelo ‘Sprinter; de tecto alto e devidamente equipada para proporcionar um serviço de qualidade a quem dela viesse a necessitar.

ANO DE 2003
Foi já no final do mês de Março que a associação recebeu duas novas ambulâncias. Uma viatura foi destinada ao serviço de fisioterapia, montada com elevador para poder colocar nela os doentes em cadeiras de rodas, para além de ter ainda capacidade de transporte para mais cinco pessoas sentadas. Esta unidade foi adquirida em consequência da campanha de angariação de fundos levados a efeito, no ano transacto, na cidade de Peniche e zona rural. O seu custo foi de 35.929,05 euros. A outra viatura foi destinada, essencialmente, a evacuação de doentes do Hospital de Peniche para os hospitais centrais, a qual esta equipada com material adequado a doentes transportados em situações graves, com condições para serem acompanhados por médicos e/ou enfermeiros, consoante o estado do doente e a prescrição clínica. Esta unidade veio também proporcionar a prestação de um melhor serviço. O seu custo foi de 41.26153 euros e foi oferecida, como atrás foi referido, pela Caixa de Crédito Agrícola das Caldas da Rainha, Óbidos e Peniche.
Em Junho, a corporação assinalou o 74° aniversário. Do programa destaca-se a celebração da Eucaristia, a que presidiu o capelão nacional dos bombeiros, Pe. José Manuel, tendo a cerimonia sido animada pelo coro dos escuteiros locais que deu considerável relevo ao acto. Após este respeitável acontecimento, teve lugar em frente a Igreja Paroquial de São Pedro o baptismo de três viaturas que tinham sido postas recentemente ao serviço desta colectividade, solenidade realizada também pelo referido capelão. Uma viatura, como já tinha sido referenciada, destinada ao serviço de fisioterapia, oferecida pela população deste concelho, tendo apadrinhado o acto o presidente da Câmara, Jorge Gonçalves, na qualidade de representante do povo. Outra destinada para fazer evacuações de doentes do Hospital de Peniche para outros hospitais, oferta da Caixa de Crédito Agrícola de Caldas da Rainha, Óbidos e Peniche, tendo sido padrinho Carlos Félix Charrinho, então director do Balcão de Peniche da referida instituição bancaria.
A terceira oferta, de Mário Monserrate e filho, seus padrinhos da viatura no acto do baptismo do referido veiculo. Seguiu-se a romagem ao cemitério onde foi colocada uma palma de flores, pelo presidente da Câmara, no talhão dos bombeiros, onde foram guardados momentos de meditação. No regresso ao quartel houve desfile apeado e motorizado, em que participaram os elementos da fanfarra e do corpo de bombeiros, com todas as viaturas da corporação, percorrendo algumas ruas principais da cidade. A sessão solene teve inicio as 12h00 com a entrega de medalhas a elementos do quadro de honra do corpo de bombeiros, a bombeiros do quadro activo, a um elemento da fanfarra e a um director. O responsável pela fanfarra, motorista auxiliar Pedro Gomes, recebeu as divisas equiparadas a chefe pelo seu desempenho na promoção da fanfarra que tem dignificado a associação em algumas actuações realizadas em determinadas localidades do país. Na mesma sessão foi feita a entrega do casaco anti-fogo ao governador civil, oferta do corpo dos bombeiros, atendendo ao interesse demonstrado pelo responsável nas linhas de combate a incêndios, onde era na altura visível a sua presença.


terça-feira, maio 06, 2014